Conheça Jalapão, O Paraíso Escondido Do Tocantins

Conheça Jalapão, O Paraíso Escondido Do Tocantins
4.4 (87.27%) 11 votes

Destino já conhecido pelos apaixonados pelo ecoturismo e turismo de aventura. Localizada no Estado do Tocantins, a região encanta por suas águas abundantes, chapadões e serras com clima de savana, além da paisagem de cerrado, com direito a dunas alaranjadas, rios encachoeirados, nascentes e impressionantes formações rochosas.

A cada ano, cresce o número de brasileiros e estrangeiros que se aventuram rumo ao Norte do Brasil em busca desse, que já é um dos principais destinos do ecoturismo do país. A maioria dos atrativos está localizada nas cidades de Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins. Em meio a 34 mil km² de paisagem árida, a região é cortada por uma imensa teia de rios, riachos e ribeirões, todos de águas transparentes e potáveis.

Atrativos De Jalapão

Os atrativos garantem diversão o ano inteiro, seja no período chuvoso ou de estiagem, de acordo com o perfil e interesse do turista. Para os mais aventureiros, a região é ideal para prática de esportes, entre eles o rafting, a canoagem, o rapel e as trilhas a pé e de bicicleta.

Veja Também:
Fervedouros Do Jalapão E Suas Águas Que Não Afundam
Jalapão no Brasil – Um show da natureza no coração do Brasil
5 paraísos brasileiros que você precisa conhecer

Entre os atrativos mais procurados estão a Cachoeira da Velha, uma enorme queda d’água em forma de ferradura de aproximadamente 100 metros de largura e 15 metros de altura; as Dunas, cartão postal do Jalapão, composto por areias finas e alaranjadas que chegam a 40 metros de altura; os Povoados do Mumbuca e Prata, comunidades remanescentes de quilombos, cuja visitação possibilita ao turista vivenciar a cultura local; a Serra do Espirito Santo, formação rochosa onde é possível apreciar a flora da região; a Cachoeira do Formiga, um encantadora nascente de água verde-esmeralda; e os Fervedouros, com suas águas transparentes, nas quais é impossível afundar.

A preocupação em manter preservada essa incrível riqueza natural é representada pela presença de vários instrumentos de conservação, como o Parque Estadual do Jalapão, o Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba; a Estação Ecológica da Serra Geral do Tocantins; a Área de Preservação Ambiental (APA) Serra da Tabatinga; e a Área de Proteção Ambiental (APA) Jalapão.

Atrativos De Jalapão
Foto: Tocantins.to.Gov

Ponte Alta Do Tocantins

Portal sul de entrada do Jalapão, Ponte Alta do Tocantins fica a 152 km de Palmas. O nome da cidade remete a uma árvore caída à margem do rio, usada como ponte para pedestres.

É aqui que está localizado um dos atrativos mais interessantes do Jalapão, o Cânion Sussuapara, com suas águas límpidas e cristalinas que descem por fendas entre os paredões de cerca de 12 m de altura. A 35 km do centro da cidade, uma boa pedida é apreciar o por do sol na Pedra Furada, um gigantesco conjunto de blocos areníticos esculpidos pelos ventos há milhões de anos.

Cânion Sussuapara
Foto: Tocantins.to.Gov

Cânion Sussuapara

A água desce por uma fenda estreita, entre paredões úmidos de cerca de 12 m de altura, como um pequeno cânion, cobertos de samambaias, musgos e vegetação típica. Ao longo do trajeto, o córrego apresenta sucessão de pequenas quedas d’água, formando piscinas naturais de águas frias. Cânion Sussuapara, localizado a 12 km do Centro da cidade.

Ponte De Madeira Da Cidade Ponte Alta
Foto: Tocantins.to.Gov

Ponte de madeira da cidade de Ponte Alta

Os primeiros moradores de Ponte Alta se instalaram na margem do Rio Ponte Alta, no fim do século XIX. Na época das patentes de capitães e coronéis, instalaram-se no emergente povoado fazendeiros, canoeiros, caçadores e pescadores. O nome da cidade remete a uma árvore caída à margem do rio, usada como ponte para pedestres.

Pôr Do Sol Na Pedra Furada
Foto: Tocantins.to.Gov

Pôr do sol na pedra furada

Um gigantesco conjunto de blocos areníticos esculpidos pelos ventos há milhões de anos reina solitário na paisagem. Os três buracos feitos na rocha e sua beleza cênica dão um toque mítico ao atrativo. Do topo da Pedra Furada é que se avista o Morro Solto, um paredão rochoso, arredondado, perdido no meio do nada. É hora de esquecer o tempo e contemplar uma paisagem surpreendente.

Como chegar: o Morro da Pedra Furada fica a 35 m do centro de Ponte Alta do Tocantins.

Fervedouro do Ceiça
Foto: Tocantins.to.Gov

Mateiros

Localizada na região leste do Estado do Tocantins, a cidade de Mateiros, a 310 km da capital, Palmas, é referência na produção do artesanato em capim dourado. É na zona rural do município que está localizado o Povoado Mumbuca, comunidade remanescente de quilombo onde se originou a produção das peças com esta matéria-prima.

A cidade recebeu este nome em função da grande quantidade de veados mateiros encontrados na região.

Visitar Mateiros é uma oportunidade de se deparar com cenários cinematográficos, passeando por lugares como as trilhas e mirantes da Serra do Espírito Santo; vislumbrar as inigualáveis Dunas em tons dourados e alaranjados; tentar afundar, sem sucesso, em vários fervedouros; além de renovar as energias com um banho nas águas cristalinas, verde-esmeralda, da Cachoeira do Formiga. Ainda em Mateiros, não deixe de visitar a bela e majestosa Cachoeira da Velha, assim como a Prainha do Rio Novo.

Artesanato Capim
Foto: Tocantins.to.Gov

Artesanato em Capim Dourado

Artesanato típico da região do Jalapão. Feito em capim dourado que é a haste de uma flor branca da família das sempre-vivas, cientificamente conhecido de Syngonanthus niten. São mais de cinquenta produtos feitos a partir do capim dourado, e entre as principais peças estão bolsas, pulseiras, potes, brincos, chapéus, mandalas e enfeites de todos os tipos.

Uma das mais importantes artesãs foi Guilhermina Ribeiro da Silva, mais conhecida como Dona Miúda, falecida em 2010. Ela aprendeu o ofício com sua mãe, que aprendeu de sua avó, e é uma herança do povo indígena Xerente. Foi com o artesanato que Dona Miúda criou os seus doze filhos, ela viajava com os filhos até as cidades próximas a fim de vender as peças que havia produzido

A arte de trabalhar o Capim é passada de geração a geração nos locais onde se originaram, como Ponte Alta, Novo Acordo, Santa Tereza, Lagoa do Tocantins e no Prata, além das já citadas Mumbuca e Mateiros, todas na região do Jalapão, sendo importante fonte de renda para muitas famílias.

Atualmente, o Capim Dourado ganhou popularidade e não mais está presente apenas no Tocantins como também é largamente utilizado em todo o Brasil e até no exterior. Por isso, ele ganhou um selo de identificação geográfica que o coloca como produto único e típico do Tocantins.

Onde encontrar: Na Comunidade Mumbuca existe uma loja de artesanato com peças em capim dourado. Pode-se chegar à Comunidade pela estrada para São Félix (TO-110), a 22 km da sede do município de Mateiros.

Cachoeira Da Velha
Foto: Tocantins.to.Gov

Cachoeira Da Velha

No rio Novo, é a maior cachoeira do parque e uma de suas maiores atrações. Tem grande volume de água cristalina mesmo na época da estiagem – entre maio e setembro – em duas quedas em formato de ferradura com cerca de 100 metros de largura e 15 de queda livre. Olhando de cima e conforme o ângulo, o formato lembra o mapa do Brasil. Conta com uma passarela e um mirante de onde se pode contemplar a cachoeira e a mata ao redor e, dando sorte, um pouco da fauna local. O banho não é permitido por questão de segurança, já que é um grande volume de águas revoltas. O nome, de acordo com os locais, deve-se a uma mulher que vivia nas proximidades da cachoeira e amava demais aquelas águas e, depois de morrer, seu espírito permanece no lugar.

Como chegar: Saindo de Palmas até Ponte Alta pelas rodovias TO-50 e TO-255, seguindo depois por estrada de terra.

Cachoeira Do Formiga
Foto: Tocantins.to.Gov

Cachoeira Do Formiga

O nome é por causa do rio Formiga. É uma queda pequena que forma um poço grande de águas em tons esverdeados que lembram esmeralda. A água é muito transparente e mesmo no lugar mais profundo pode-se ver a areia calcárea branca e fina. Ao redor dessa piscina natural, a vegetação é exuberante e lembra a mata atlântica, com palmeiras, samambaias e muitas árvores com bichos pulando pra lá e pra cá. Como outros encantos do Jalapão, fica em propriedade particular e paga-se pela visita. Também é permitido acampar e nesse caso, é necessário levar provisões e cumprir a exigência – válida para todo o Parque Estadual do Jalapão – de não deixar qualquer espécie de lixo.

Como chegar: saindo de Mateiros, pela rodovia BR-225 em direção a São Félix, são 36 km por estrada de chão.

Dunas De Jalapão
Foto: Tocantins.to.Gov

Dunas Do Jalapão

Surgiram a partir da erosão das serras rochosas da região ao longo do tempo, e são a segunda razão pela qual a região é chamada de deserto – a outra é a baixa densidade demográfica. As dunas são um espetáculo natural cuja altitude varia de 200 a 400 metros, de onde se descortina a bela paisagem de areias que refletem a luz solar em variados tons de dourado mesclado com o azul dos rios e, aqui e acolá, do verde da vegetação rasteira típica da região e dos buritizais que vicejam à beira de nascentes. Das dunas se pode avistar a Serra do Espírito Santo, as veredas de capim dourado e os lagos que são como oásis no meio do deserto. Objetos encontrados ali indicam que o lugar já foi o fundo de um oceano. Assim como no mirante da serra, o nascer e o por do sol são espetáculos à parte, que compensam qualquer dificuldade para se chegar às dunas.

Como chegar: saindo de Palmas, 282 km pela TO-255 (cerca de 4 horas de viagem em veículo com tração 4×4).

parque nacional do jalapão
Fervedouro

Fervedouro Ceiça

O Fervedouro do Ceiça encontra-se em Mateiros. Como o terreno é frágil o atrativo possui um limite capacidade de carga. Só é permitido no fervedouro seis pessoas por vez, com tempo máximo de permanência de 20 minutos. Os visitantes podem esperar numa pequena estrutura de apoio no local. O atrativo turístico, que é particular, está aberto todos os dias, das 6h às 18h.

Festa Da Colheita Do Capim Dourado
Foto: Tocantins.to.Gov

Festa Da Colheita Do Capim Dourado

É a festividade mais marcante do povoado, quando se celebra a colheita do capim nativo das veredas e só encontrado naquela região. Durante cerca de uma semana, homens, mulheres e crianças coletam a matéria prima para o artesanato tradicional da região. A festa marca o início da colheita que é regulamentada para garantir o manejo sustentável do capim e contribuir com a preservação dele.

A Festa da Colheita do Capim Dourado já se tornou tradicional e é promovida pela Associação dos Artesãos do Povoado Mumbuca. Neste período, os visitantes tem a oportunidade de conhecer a cultura, as tradições e, em especial, de verificar como se dá o processo de produção do artesanato de capim dourado.

Quando e onde acontece: a data da festa segue o calendário do Naturatins, que é órgão responsável por autorizar a coleta do capim dourado. A festa é realizada na Comunidade Mumbuca e o acesso é pela estrada para São Félix (TO-110), a 22 km da sede do município de Mateiros

Mirante Serra Do Espirito Santo
Foto: Tocantins.to.Gov

Mirante Serra Do Espirito Santo

Oferece um vista deslumbrante e privilegiada a quem vence o desafio de subir a serra por trilha e chegar lá. Saindo de Mateiros, são cerca de 30 km de estrada arenosa até a serra, onde começa a trilha íngreme de cerca de 500 metros. Ela conta com corrimão em alguns trechos e pontos de paradas com banquinhos para respirar e repor as energias. Caso o visitante tenha optado pelo passeio de manhã, é preciso sair bem cedo, por volta de 4 horas, por dois motivos: primeiro, porque a temperatura ainda está amena; e segundo, porque a grande recompensa é ver o nascer do sol lá de cima do mirante, tendo abaixo a natureza intocada e toda a exuberância do verde cortado por rios, riachos e lagoas que oferecem praias naturais de areias brancas e finas. Se a escolha for pela tarde, o melhor é esperar o sol declinar um pouco e sair lá pelas 16 horas, quando o calor é menos intenso, mas sem descuidar de proteger a pele e se hidratar. A recompensa nesse caso é ver o sol se por, lançando raios avermelhados sobre as dunas de areias cor de laranja.

Como chegar: saindo de Mateiros ou São Félix, por estrada de chão

Parque Estadual Do Jalapão
Foto: Tocantins.to.Gov

Parque Estadual Do Jalapão

Natureza em estado puro, é um convite ao turismo de aventura com estradas de terra e areia a partir de Ponte Alta do Tocantins, a 195Km de Palmas. São 34 mil km² de área de preservação ambiental, com temperaturas médias de 30°C, e entrecortados por uma imensa teia de rios, riachos e ribeirões, cachoeiras, e nascentes de água cristalina. Muitas dessas nascentes são chamadas de fervedouros, por causa do borbulhar constante que torna impossível o banhista afundar. O parque também é rico em dunas de areias alaranjadas, serras e chapadões de onde se pode avistar a paisagem com vegetação rasteira que mistura cerrado, campina e matas de galeria. É possível viajar durante dias pelo parque avistando somente animais típicos da região como lobos-guarás, emas, raposas, gambás, papagaios, araras muitos outros animais que compõem a fauna típica local. Pode-se praticar trilha, canoagem, mergulho e outros esportes radicais e os pontos de hospedagem mais próximos ficam em Mateiros e São Félix.

Como chegar: a partir de Palmas por Novo Acordo (110 km asfaltados) ou Ponte Alta (195 km de asfalto)

Povoado Mucumba
Foto: Tocantins.to.Gov

Povoado Mucumba

Fica no município de Mateiros, perto da rodovia TO-110 e a população – reconhecida como quilombola pela Fundação Palmares – é uma espécie de grande família que se originou de remanescentes de quilombolas e indígenas que habitavam a região. A base da economia local é o artesanato de capim dourado e a agricultura familiar, em que homens e mulheres têm papéis bem definidos: eles cuidam do cultivo das roças e as mulheres da colheita e da fabricação de farinha de mandioca. Uma vez por ano, geralmente em setembro, é realizada a festa da colheita do capim dourado com manifestações culturais, cantorias e rodas de conversa que têm o objetivo de manter as tradições.

Como chegar: por estrada de chão saindo de Mateiros.

Prainha Do Rio Novo
Foto: Tocantins.to.Gov

Prainha Do Rio Novo

O Rio Novo tem muitos bancos de areia na margem, mas a mais conhecida e visitada é essa. Fica logo abaixo da Cachoeira da Velha e impressiona pela brancura da areia e transparência da água, que forma uma espécie de piscina natural translúcida rodeada pela mata virgem, num ambiente de muita paz e calmaria. Impossível resistir ao convite para um mergulho. Mas, cuidado: o rio tem fortes correntes subaquáticas que exigem cautela.

Como chegar: por uma trilha a partir da Cachoeira da Velha que faz uma grande descida com patamares e locais de parada para respirar.

Rafting No Rio Novo
Foto: Tocantins.to.Gov

Rafting No Rio Novo

É uma das atividades mais praticadas pelos adeptos do turismo de aventura que visitam o Jalapão. O rio oferece grandes corredeiras propícias também a outros esportes radicais com canoagem e boia cross. O rafting dura cerca de três horas rio abaixo e é preciso contratar o pacote por uma agência de viagens que deve disponibilizar equipamentos, guias experientes e garantir a segurança no trajeto.

Como chegar: saindo de Mateiros pela estrada que leva a Ponte Alta, 45km por estrada de chão.

Tilha Na Serra Do Espirito Santo
Foto: Tocantins.to.Gov

Tilha Na Serra Do Espirito Santo

Íngreme e considerada a trilha mais difícil da região, tem extensão de 34 km até chegar ao mirante da serra, passando por grandes blocos de rochas arenosas cuja erosão, ao longo de 150 milhões de anos, deram origem às dunas do Jalapão. A dificuldade da subida é recompensada pela vista esplendorosa da paisagem, especialmente do por do sol. A trilha tem trechos demarcados e alguns com cordas que servem de corrimão; é melhor fazer a subida bem cedo ou no fim de tarde, quando o sol já não está mais a pino e a temperatura cai um pouco, mas mesmo assim é importantíssimo se proteger com filtro solar, chapéu, óculos escuros e levar água suficiente para beber muitas vezes durante trajeto e é bom usar repelente pois tem muitos mosquitos. A descida também precisa de cuidados por causa da grande quantidade de pedras soltas e é bom que seja feita antes do anoitecer.

Como chegar: por estrada de terra saindo de Mateiros ou de São Félix

São Felix Do Tocantins
Foto: Tocantins.to.Gov

São Felix Do Tocantins

O município de São Félix do Tocantins está localizado a 263 km de Palmas, capital do Tocantins. O povoamento do município se iniciou com migrantes nordestinos vindos principalmente do Piauí, Maranhão e Bahia, surgindo como arraial em 1736.

Geograficamente é o mais central do Jalapão, limitando-se ao Norte com o município de Lizarda, ao Sul com Mateiros, a Oeste com Novo Acordo e a leste com o Estado do Maranhão.

São Félix sedia o Monumento Natural Canyons e Corredeiras do Rio Sono (MONACC), primeira unidade de conservação municipal de proteção integral. No município você pode conferir atrativos incríveis e praticar o rafting no Rio Novo, modalidade que cresce a cada dia na região. Entre os atrativos, estão a Praia do Alecrim, o Fervedouro do Alecrim, a Cachoeira da Jalapinha, a Serra da Catedral e o Povoado do Prata.

Fervedouro Do Alecrim
Foto: Tocantins.to.Gov

Fervedouro Do Alecrim

Tudo que envolve o fervedouro encanta. São as matas ciliares que moldam o lago de águas cristalinas e borbulhantes e o impacto de boiar nas águas, uma experiência inesquecível. Fervedouro do Alecrim, localizado a 1,7 km do Centro da cidade.

MONACC – Monumento Natural Canyons e Corredeiras do Rio Sono
Foto: Tocantins.to.Gov

MONACC – Monumento Natural Canyons e Corredeiras do Rio Sono

O Monumento Natural Canyons e Corredeiras do Rio Sono é a primeira unidade de conservação de proteção integral municipal do Tocantins. Com 1457,60 km², foi criada em 2012 pelo Decreto nº 034, de 02/07/2012 com o objetivo de regulamentar o potencial ecoturístico e paisagístico do Rio Sono e a preservar e recuperar os remanescentes naturais marginais. Sua área está limitada ao norte pelas áreas de preservação permanente (APPs) associadas ao rio e ao longo do Rio Soninho; ao sul pelos limites do Parque Estadual do Jalapão, também coincidente com a divisão municipal de São Félix do Tocantins com o município de Mateiros; à leste pela Praia do Alecrim e à oeste pela confluência do Rio Soninho com o rio novo.

Praia Do Alecrim
Foto: Tocantins.to.Gov

Praia Do Alecrim

A Praia do Alecrim, em São Félix do Tocantins, situa-se a 1,7 km da sede municipal e a 500 metros do Fervedouro do Alecrim. Esta praia fluvial dispõe de uma extensão grande de areia e águas cristalinas rodeadas de vegetação, sendo propícia para tomar sol, banhos, e relaxar e observar a fauna e flora. No período de alta temporada, a praia recebe um palco para a realização de eventos culturais. São realizadas também atividades recreativas, sendo que a praia dispõe de um campo de vôlei e vários espaços de alimentação.

São Felix Do Tocantins
Foto: Tocantins.to.Gov

Rafting no Rio Sono

O Rio do Sono é o maior rio localizado totalmente no Estado do Tocantins. Ele nasce nas serras de Mateiros e passa pelos municípios de São Félix do Tocantins, Novo Acordo e Ponte Alta do Tocantins.

Serra Da Catedral
Foto: Tocantins.to.Gov

Serra da Catedral

Todo mundo que visita o Jalapão se impressiona com seus imensos horizontes. Vez ou outra, esses vazios infinitos são quebrados com a visão das serras. E uma delas chama atenção por ter o formato de uma fachada de Catedral. Ela fica entre São Félix e Novo Acordo. A partir de 2010 foi reconhecida pelo ICMBio como uma Reserva de Patrimônio Natural – RPPN.

Novo Acordo
Foto: Tocantins.to.Gov

Novo Acordo

As águas cristalinas do Rio Sono com suas corredeiras ideais para prática de rafiting, também passam por Novo acordo, cidade localizada a 116 km de Palmas. Aqui, os visitantes também podem desfrutas das belezas da Praia do Borges e se encantar com a Morro do Gorgulho, um conjunto de formações rochosas avermelhadas, cujo formato é resultado da ação do vento e das águas ao longo de vários anos.

Jalapão Brasil - Um show da natureza no coração do Brasil

Mosaico de Unidades de Conservação do Jalapão

A região do Jalapão apresenta-se como um grande mosaico de áreas de preservação que tem como objetivo garantir a preservação da fauna e flora do cerrado. Dentre as unidades de preservação estão: a APA Estadual do Jalapão, criada em 2000, com 461mil há, abrange parte dos municípios de Mateiros, Novo Acordo e Ponte Alta do Tocantins. Ela abriga um dos principais atrativos turísticos da região, a Cachoeira da Velha. O Parque Estadual do Jalapão, criado em 2001, abrange uma área de quase 160 mil hectares no município de Mateiros, o torna o maior parque estadual do Tocantins. E sua vegetação é predominantemente de cerrado e campo limpo com veredas.

Ainda existe o Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba, que envolve áreas do Tocantins e da Bahia. Criado em 2002, com cerca de 107 mil hectares, ele abrange parte dos municípios de Mateiros, Ponte Alta do Tocantins e Rio da Conceição. A APA Serra da Tabatinga, que abrange áreas do Tocantins e Maranhão, criada em 1990, com área de 27mil ha, inclui áreas do município de Mateiros. E tem o objetivo de proteger as nascentes do Rio Parnaíba

Também existe a Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins, criada por decreto da Presidência da República, em 27 de julho de 2001. É uma das maiores unidades do Brasil com área de 707mil hectares. Ela abrange os municípios de Almas, Ponte Alta do Tocantins, Rio da Conceição e Mateiros, no estado do Tocantins. A sua criação tem como objetivos: proteger e preservar amostras dos ecossistemas de cerrado e propiciar o desenvolvimento de pesquisas científicas.

Fonte: Turismo Tocantins

Everton Lemos

Sou Natural De Brasília, Apaixonado pelo Brasil e suas belezas naturais, procuro sempre conhecer e compartilhar as grandezas do nosso país.

admin has 531 posts and counting.See all posts by admin

Deixe Um Comentário