Paraty – RJ

Paraty – RJ
5 (100%) 1 vote
Paraty - RJ

Paraty – RJ

Por Que Ir Para Paraty

À primeira vista parece que o tempo parou em Paraty, uma cidadezinha espremida entre a serra e o mar e que teve seu apogeu no Ciclo do Ouro. No Centro Histórico, a moldura é formada por preservados casarões coloniais, igrejas dos séculos 18 e 19 e ruas calçadas pelos escravos em pedras pés-de-moleque onde o tráfego de automóveis é proibido.

Mas basta circular pelas ruelas para conferir uma cidade pulsante, charmosa, com gente, sotaques e paladares do mundo inteiro, combinando tradição e modernidade.

O cenário utilizado nas festas religiosas, como a do Divino, é o mesmo onde a turma brinca o Carnaval, os fãs da branquinha degustam a bebida no Festival da Cachaça e os intelectuais badalam durante a concorrida Festa Literária Internacional, a Flip.

A cidade reúne ainda praias e cachoeiras. Naestrada para Cunhaficam quedas d´água que formam piscinas naturais perfeitas para banhos, como Pedra Branca e Tobogã.

Para conhecer a bonita baía de Paraty e suas ilhas, a dica é fazer um passeio de barco – lanchas e escunas partem todos os dias do cais. Já na vila de Trindade, a 20 quilômetros, lindas praias selvagens e acessíveis por trilhas, como a do Sono e do Cachadaço, atraem a turma jovem e aventureira.

Paraty - RJ

Centro Histórico

Centro Histórico De Paraty

Graças ao tombamento pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional, quase nada mudou por ali. Erguido entre os séculos 18 e 19 em uma área compreendida entre o rio Perequê-Açu e a Baía de Parati, mantém a paisagem emoldurada por casarões coloniais e igrejas. A proibição ao tráfego de automóveis preservou o irregular calçamento em pedras, tornando a caminhada a única maneira de circular pela área e conhecer cartões-postais como a igreja de Santa Rita, erguida em 1722. Nos coloridos sobrados funcionam bares, restaurantes e lojinhas de artesanato.

Paraty - RJ

Praia Brava

Prais De Paraty

As praias de Paraty ficam afastadas da cidade e a melhor maneira de conhecê-las é fazendo um passeio de barco, incluindo as ilhas da região. Um dos roteiros mais conhecidos é o que leva às ilhas Duas Irmãs, Comprida, Araújo, Rasa, Algodão e Catimbau, e às praias Vermelha e da Lula. Quem busca praias desertas deve optar pelo passeio que segue para Saco do Mamanguá, Cajaíba, Martim de Sá e Ponta Negra.

Para apreciar alguns dos cenários mais bonitos da região, como a rústica praia do Sono (barco ou uma hora e meia de caminhada) e as piscinas do Cachadaço, pegue a direção da vila de Trindade. Reduto de jovens, fica a 25 quilômetros de Paraty e é acessível por estrada asfaltada.

Para Ir De Barco

Ilha Comprida

Não tem praia, sendo um verdadeiro aquário natural repleto de peixes coloridos

Praia Da Lula

Tem areias claras e mar calminho de águas cristalinas. Boa para banhos, tem canto de pedras indicado para a prática de snorkeling

Praia Vermelha

Perfeita para relaxar, tem areia fofa e mar transparente. Conta com infraestrutura de bares e restaurantes

Ilha Do Pelado

Barco partem da praia de São Gonçalo e, dez minutos depois, chegam à ilha e sua prainha de areias douradas, águas cristalinas e rasas e édras. Os quiosques servem batidas, pastéis e petiscos de camarão.

Praia Grande De Cajaíba

Excelente praia cercada de mata atlântica, com águas cristalinas e areias fofas. No canto esquerdo tem bares rústicos de onde sai uma trilha de nível fácil para uma bonita cachoeira. Acessível por barco apenas.

Saco Do Mamanguá

A mata preservada, os manguezais, a cachoeira e as formações rochosas fazem da paisagem intocada – e em área de proteção – uma das mais admiradas da região. A dica é ir de carro até à praia de Paraty Mirim (10 km pela Rio-Santos, sentido São Paulo), com direito a uma reserva indígena no caminho. De lá, parte, barquinhos que fazem a travessia em cerca de 15 minutos. Antes de chegar ao fundo do saco, repelto de praias de água cristalinas e desertas, navega-se por um braço de mar de oito quilômetros de extensão e um de largura.

A região pode ser explorada também através de trekking e canoagem – a aventura pode durar até três dias, com pernoites e refeições nas casas de moradores. Uma das trilhas mais conhecidas é que parte da Praia do Cruzeiro e leva ao Pão de Açúcar, com vista panorâmica da baía de Paraty.

Este passeio não costuma ser oferecido pelas dezenas de barqueiros que ficam no Centro de Paraty. Querendo ir até lá, é preciso pedir especificamente. Isto por conta da distância e do tempo de viagem. Para se chegar ao Mamanguá de barco, partindo de Paraty, leva-se mais de duas horas. De lancha, meia hora.

Praia Pouso Da Cajaíba

Pouco movimentada, abriga vila de pescadores

Martim De Sá

Completamente deserta e cercada por montanhas, tem areias claras e mar verde com ondas fortes. Oferece estrutura para camping

Ponta Negra

A pequena enseada tem areias brancas, águas cristalinas, casas de pescadores e área para camping

Antigos e Antiguinhos

Isoladas e selvagens, têm pedras para a prática do mergulho livre. Em alguns pontos, o mar agitado atrai surfistas. Os barcos de pescadores partem da praia do Sono. Também são acessíveis por trilhas

Ilha Do Araújo

Ilha mais habitada de Paraty, tem diversas praias banhadas por águas verdes

Ilha Dos Meros

Melhor ponto da região para a prática do mergulho com cilindro

Para ir De Carro

Paraty Mirim

A enseada de águas calmas e cristalinas, areias brancas, rio e coqueiros tortos guarda ainda a simpática igrejinha de Nossa Senhora da Conceição, de 1757. Ainda no cenário, de ruínas de antigos casarões. O acesso é por barco ou carro – ceca de 10 km do Centro Histórico (via Rio-Santos, sentido São Paulo), com direito a uma reserva indígena no caminho.

Prainha

Com pouco mais de um quilômetro, tem areias finas e claras

São Gonçalinho

Estreita, tem areias claras e é divida por um riozinho. Do lado direito ficam os quiosques dos pescadores, que servem peixe, lula e camarão. E, do lado esquerdo, sombra e mar raso e transparente, bom para um mergulho e para brincar com as crianças. Fica a cerca de 30 km do Centro.

Jabaquara

Muitos jovens (principalmente estrangeiros) buscam os albergues, mas as pousadas do bairro também atraem famílias. O mar calmo e escuro fica impróprio para banho em algumas épocas do ano. Por ali, um bom programa é alugar um caiaque na praia e explorar o mangue no caminho do Corumbê. No Carnaval, a praia de Jabaquara recebe o Bloco da Lama.

São Gonçalo

A praia é uma das maiores de Paraty, com orla perfeita para caminhadas. O acesso é por uma canoa (deixe o carro na Rio-Santos). As águas calmas são boas para mergulhar e, de lá, partem barcos que levam à tranquila Ilha do Pelado, em viagem de dez minutos. Fica a 30 km do Centro.

Barra Do Corumbê

O principal atrativo são as piscinas naturais, perfeitas para levar os pequenos. Tem bares e restaurantes que servem frutos do mar.

Batanguera

De tombo, oferece formações de recifes boas para o mergulho

Prainha Da Praia Grande

Acessível por trilha fácil e rápida, tem águas claras e areia fofa

Trindade

Praia Do Sono

Considerada uma das mais bonitas da região, é extensa, com areias brancas e águas claras. O mar agitado atrai os surfistas. Tem vila de pescadores e área de camping. Frequentada por jovens e aventureiros, é acessível pelo Condomínio Laranjeiras. De lá partem barcos que levam à praia, em viagem de cerca de dez minutos. Outras alternativas são pegar o barco na praia do Meio, em Trindade (20 minutos), ou chegar pela trilha de 1h30, a partir de Laranjeiras.

Cepilho

Primeira praia da vila, é procurada por surfistas que lá encontram ondas fortes e areia fofa. Não é recomendada para banho, mas vale estacionar o carro ao lado do bar e admirar o visual.

Praia De Fora

A praia contorna boa parte das pousadas. Tem areias brancas e mar de tombo, mas permite um bom banho.

Praia Dos Ranchos

Tranquila, é a praia é ideal para quem procura bons lugares para comer e beber. A denominação “Ranchos” se refere ao local onde se guardam os barcos dos pescadores. É o melhor ponto da vila para apreciar o nascer da lua cheia.

Praia Do Meio

A bonita praia é uma das mais procuradas da vila por conta das águas calmas e cristalinas – boas para banho; além da larga faixa de areia. Uma formação rochosa no meio da praia permite apreciar outras praias. A estrutura fica por conta dos bares e restaurantes, que oferecem mesas, sombra e duchas. Daqui sai a trilha até a praia do Cachadaço e os barcos que levam às piscinas naturais. Tem acesso fácil (a pé ou de carro) e estacionamentos.

Cachadaço

Considerada uma das mais bonitas da região, tem larga faixa de areias brancas e finas, mar cristalino e moldura de vegetação nativa. Mas é preciso atenção com os buracos e a correnteza. Sem estrutura, conta apenas com dois campings. O acesso é a pé (20 minutos) ou de barco (cinco minutos), a partir da Praia do Meio. Próximo dela ficam as piscinas naturais do Cachadaço, com águas transparentes e protegidas por pedras, repletas de peixes. As piscinas ficam lotadas no verão.

Brava

Quase sempre deserta e escondida entre os costões e a vegetação, tem areia clarinha e mar cristalino. Mas apesar da beleza,não é indicada para banhos por conta da correnteza e das ondas fortes. Acesso por trilha (20 minutos), sem placas, a partir da estrada que liga a Rio-Santos à Trindade. A referência é um espaço para estacionar, pouco antes da praia do Cepilho.

Paraty - RJ

Teatro De Bonecos

Teatro De Bonecos

O belo espetáculo “Em concerto”, do grupo Contadores de Estórias, dá vida a bonecos de pano e espuma. As apresentações, premiadas em diversas partes do mundo, acontecem às quartas e aos sábados no Teatro Espaço. Convém fazer reservas.

Paraty - RJ

Caminho Do Ouro

Caminho Do Ouro

A estrada calçada em pés-de-moleque pelos escravos entre os séculos 18 e 19, em plena Mata Atlântica, está bastante preservada. Batizada de Caminho do Ouro por ser a passagem que ligava Minas ao Rio durante o ciclo do metal, a estrada chama a atenção não apenas pela importância histórica, mas pelas riquezas natural e cultural que a envolvem.

Paraty - RJ

Passeio De Barco

Passear De Barco Em Paraty

Há diversos roteiros pela Baía de Paraty, sempre com paradas para mergulho. O mais tradicional circula pelas ilhas próximas e pelas praias Vermelha e da Lula. Já quem busca cenários mais rústicos, a dica é ir de barco até a Ponta de Cajaíba e de lá seguir por trilhas para as praias de Martim de Sá e Grande da Deserta. Outro passeio interessante é o que leva ao Saco do Mamanguá, um braço de mar de oito quilômetros que avança no continente formando um fiorde – o único  do país.

Paraty - RJ

Alambiques De Maria Isabel

Visitar Os Alambiques

Há sete alambiques principais na cidade, vale a pena visitar ao menos um! O mais artesanal de Paraty é o Maria Izabel, que produz a cachaça de mesmo nome em barris de carvalho e jequitibá.A apresentação dos produtos é feita pelo própria Maria Izabel. Por lá, ainda chamam a atenção a decoração e a localização – no meio da mata, fica de frente para a Baía de Paraty. Já o Engenho D’Ouro produz aguardentes que fazem sucesso mundo afora, como em Belo Horizonte e Bruxelas. O alambique faz parte de um conjunto que inclui restaurante e uma casa de farinha.
Ainda no roteiro da cachaça estão os alambique Coqueiro – o mais antigo e é tocado pela mesma família há cinco gerações; Corisco, um dos mais famosos, caracteriza-se pelas cachaças fortes; Paratiana, da cachaça Gabriela (com cravo e canela); Pedra Branca, bem-estruturado; e Maré Cheia, com cachaças populares.

Maria Izabel: Rio-Santos, Km 568 (direção Rio). Agendamento pelo telefone: (24) 99999-9908
Engenho d’Ouro: Estrada para Cunha, Km 8. Tel: (24) 99905-8268
Coqueiro: Rio-Santos, Km 583 (direção Ubatuba). Tel (24) 3371-0894
Paratiana: Estrada da Pedra Branca, Km 1. Tel (24) 3371-6329
Maré Cheia: Estrada do Jacu. Tel (24) 3371-9377Fonte: Férias Brasil