Alcântara – MA

Alcântara – MA
4 (80%) 2 votes
Alcântara - Maranhão

Alcântara

Por Que Ir a Alcântara – MA

Conhecida como “a cidade que parou no tempo”, Alcântara guarda um conjunto de mais de 300 construções coloniais – muitas em ruínas, como a Matriz de São Matias, cartão-postal da cidadezinha. Sobrados, igrejas e palácios são heranças do período de ouro da vila que, no século 18, teve seu apogeu com as lavouras de cana-de-açúcar e de algodão. Algumas antigas residências que pertenceram aos barões ainda exibem marcas da ostentação, como sacadas de ferro, mirantes e azulejos trazidos de Portugal.

A melhor maneira de chegar à cidade é pelo mar – vindo de São Luís, a viagem dura pouco mais de uma hora. Do porto, todos os caminhos levam à ladeira do Jacaré, calçada em pedras coloniais – aproveite a subida para apreciar a paisagem formada por telhados e pela Ilha do Livramento, com praia deserta e acessível por barco.

Uma vez na parte alta de Alcântara, o primeiro contato é com a Praça da Matriz, uma síntese do apogeu e do declínio da região. Os arredores do largo abrigam ainda a suntuosa igreja do Carmo, com altar em estilo barroco; e o casario simples onde as delícias típicas – o doce de espécie – são vendidas nas janelas.

Alcântara preservou também as ricas manifestações culturais maranhenses. As celebrações agitam os meses de maio e agosto, quando acontecem as festas do Divino e do Tambor-de-Crioula, embalando turistas e nativos por becos, ruas e vielas.

Ruínas Coloniais De Alcântara

Ruínas Coloniais

Circular pelas construções coloniais e ruínas

O conjunto formado por casarões coloniais e ruínas faz do Largo da Praça da Matriz um museu a céu aberto. Por ali estão ainda os sobrados que abrigam espaços culturais que retratam o apogeu e o declínio de Alcântara. Nas redondezas fica a Rua da Amargura, onde estão lembranças das residências dos ricos barões.

Igreja Do Carmo

Considerada o mais bonito templo de Alcântara, a igreja do Carmo chama a atenção pelo altar-mor com talhas douradas típicas do barroco. O incremento fica por conta dos painéis de azulejos portugueses, das esculturas nos altares e da portada em pedra lioz. Construída no final do século 17, passou por diversas reformas depois de ficar completamente abandonada no fim do século 19.

Casa De Cultura Aeroespacial

O espaço abriga maquetes de foguetes lançados na Base de Alcântara.

Igreja Do Desterro

Os destaques da igreja são a bonita vista da Ilha do Livramento e o sino – manda a tradição que os visitantes devem fazer um pedido e em seguida fazer o gongo soar por três vezes.

Matriz De São Matias

Um dos cartões-postais de Alcântara, a matriz de São Matias jamais foi totalmente concluída. Durante a construção, que começou em meados do século 17, era utilizada para cultos, mas foi desativada em 1884.

Museu Histórico De Alcântara

O museu ocupa um imponente casarão do século 19, revestido por azulejos. No acervo, que recria uma casa colonial, estão móveis, obras de arte sacra, santos do pau-oco e louças.

Rua Da Amargura

A rua onde moravam os ricos barões guarda apenas ruínas. Entre as construções estão o Palácio Negro – antigo mercado de escravos -, os palacetes dos Barões de Pindaré, de São Bento, de Mearim e de Grajaú; e a Casa do Imperador.